sexta-feira, 4 de maio de 2012

Escurecido






E no apagar das luzes
A imaginação retoma as suas asas
Buscando em uma canção
A embriaguez de seu sorriso
Meus olhos fitam seu corpo desnudo.
E nas curvas de sua boca
Os sonhos se perdem como ondas
Mas voltaram...
No apagar das luzes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário