segunda-feira, 20 de maio de 2013

Convite ao corpo.




Uma noite de chuva.
O frio não parecia mais intenso que o calor de nossos corpos
O balanço da rede
A pouca luz de uma casa pacata
O cenário era impecável
Um silêncio ensurdecedor
Sua mão suave percorrendo o jeans de minha calça
Eu contemplava-o
Além do toque...
A suavidade dos movimentos
Me fez gemer quebrando o silêncio
O desejo era que você consumisse toda a minha energia
O desejo era terminar com aquilo
O desejo era sentir cada pedaço do seu corpo
Agora, pareço viver o Suplício de Tântalo
E nas minha mãos, apenas o cheiro de um homem.





Título sugerido por Itállo Santana.
Imagem sugerida por Samira Paulino.