domingo, 20 de outubro de 2013

CREPÚSCULO





Caminhou por quilômetros
E no fim da tarde
Sobre o crepúsculo
Caiu exausta na areia da praia
Cansada de tanto o procurar
A água molhando suas costas
Fechou os olhos para sonhar
Alguém se aproximou
E com a cabeça no sentido inverso
Beijou seu queixo
Ela sentiu, era ele.
As mãos percorreram seu vestido branco
Teve certeza, eram suas mãos.
Seu corpo reagiu aos estímulos
O prazer não tinha ido embora
A realidade e a fantasia estavam misturadas
Ela despertou
Molhada pelo mar, e pelo desejo
Ele tinha desaparecido
Ela voltou a caminhar quilômetros



Poesia escrita ao som da música: A bailarina e o astronauta ( Tiê)

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

(A sensação dispensa títulos)



Depois de transarem
Saciar o prazer por tanto tempo guardado
Beijava o pescoço
Arrepiava todo corpo
Segurando firmemente os braços dele
Deixando as marcar de suas unhas
Deitados na cama
Ainda ardendo de desejo
 Tocavam-se
Esquentando a cama, com corpos insaciáveis
Em uma rede bege
Espera por outros momentos mágicos.
Mas, sobretudo de completude.


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Einschalten






Sentia falta do seu cheiro
Talvez também do toque
E de quando as respirações ofegantes era o único barulho do quarto
Mordendos os lábios, queimando de desejo
Fechava os olhos e imaginava quando suas mãos pressionavam o corpo
Sonhava com sua volta
Enquanto louca de desejo chorava
Por não poder sentir
Por ter que substituir

O calor dele, pela saudade que ficou na cama.