sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Corpo ausente

Marcaram todas as semanas do mês que passa;
Por todas as tardes;
Ela guardava o tesão
Desperdiçou, algumas vezes, com suas mãos.
Quanto atingia o clímax
Gritava seu nome nos pensamentos.
E sussurrava no chão do banheiro
Com o corpo fervendo
Jurava, não poderia ser normal.
Arder sozinha de desejo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário